logo-branco.png

18 de junho de 2024

Ao lado de Jorginho, Topázio inaugura primeiro hospital municipal de Florianópolis

MultiHospital de Florianópolis e mostra como a unidade de saúde reforça a aliança do prefeito Topázio Neto (PSD) com o PL de Jorginho Mello e fomenta uma polarização com a esquerda de Florianópolis baseada na terceirização ou não dos serviços públicos.

Upiara Boschi analisa a inauguração do MultiHospital de Florianópolis e mostra como a unidade de saúde reforça a aliança do prefeito Topázio Neto (PSD) com o PL de Jorginho Mello e fomenta uma polarização com a esquerda de Florianópolis baseada na terceirização ou não dos serviços públicos.

A inauguração do primeiro hospital municipal de Florianópolis, no sábado, foi pensada nos mínimos detalhes para marcar a apoteose da gestão do prefeito Topázio Neto (PSD), pré-candidato à reeleição, e sua parceria com o governador Jorginho Mello (PL), cujo PL deve lançar o companheiro de chapa do pessedista. Até mesmo o confronto com um pequeno número de manifestantes contrários parece ter encaixado nesse script.

A obra do chamado Multihospital impressiona. Em raros momentos da visita guiada pela estrutura de 13 mil metros quadros é possível lembrar que se está na antiga sede do Aeroporto Internacional Hercílio Luz. O complexo conta com oito dispositivos públicos, que vão do Hospital Dia, para atendimento especializado em procedimentos cirúrgicos, diagnósticos e terapêuticos, com permanência máxima de 12 horas do paciente, até uma inédita ótica municipal.

Também faz parte do complexo a polêmica Unidade de Pronto Atentimento (UPA), alvo de críticas de profissionais de saúde e da oposição à esquerda, que questionam a localização em relação à atual unidade – junto ao Terminal de Integração do Rio Tavares. Topázio modulou o discurso em relação à continuidade da estrutura ao lado do terminal de ônibus do Sul da Ilha.

O prefeito enfatiza que quem for à nova UPA, no bairro Carianos, pode faz exames ali mesmo e ter maior oferta de serviços, mas diz que a estrutura antiga, que carece – no mínimo – de uma boa reforma, vai ser avaliada nos próximos meses. O ajuste na fala de Topázio mostra que a distância do Multihospital, mesmo que seja superior como equipamento público, é uma crítica que furou a bolha da esquerda e que precisou de alguma atenção.

O protesto reduzido, inicialmente concentrado em uma praça próxima à nova unidade, e depois no acesso ao antigo terminal, foi contido pela Guarda Municipal com exagero e spray de pimenta – gerando imagens que pipocaram nas redes sociais. Topázio, em suas redes, logo disse que se tratavam “dos contra”, como tem taxado os críticos à esquerda em sua gestão.

Os protestos também contemplam aquela que talvez seja a principal narrativa ideológica da atual gestão: a terceirização de serviços como forma de ganhar eficiência e reduzir o custo dos serviços públicos. É assim com redução da atuação da autarquia Comcap na coleta de lixo da cidade, também é com a operação de uma Organização Social no Multihospital.

O eleitor florianopolitano talvez vá às urnas este ano decidir entre o avanço das terceirizações ou a retomada dos serviços pela prefeitura e suas estruturas.

Topázio parece gostar dessa versão manezinha da polarização nacional, reafirmada com a presença em destaque na hora da inauguração do governador Jorginho Mello (PL), parceiro nas obras, e do deputado federal Daniel Freitas (PL), que destinou R$ 4 milhões em emendas para a nova estrutura.

O deputado estadual Marquito (PSOL), também pré-candidato a prefeito, é visto como adversário ideal para reproduzir na capital catarinense o confronto de bolsonaristas e lulistas que marca o cenário nacional – e que, em Santa Catarina, dá ampla vantagem aos aliados do ex-presidente Jair Bolsonaro. É preciso ver como essa equação fecha com a presença na urna do nome do PT, Lela Farias, e do ex-prefeito e ex-senador, Dário Berger (PSDB).

Por falar em Dário, impossível não andar pelo Multihospital e não lembrar das eleições de 2008, quando ele venceu Esperidião Amin (PP), até então o político mais popular da cidade. Aquela virada teve dois componentes fundamentais: o apoio político e financeiro do então governador Luiz Henrique da Silveira (PMDB) e o avanço inegável nos serviços de saúde no município com a inauguração das UPAs do Rio Tavares e de Canasvieiras.

A receita parece familiar? Ali mesmo no Carianos, Topázio já prometeu de olho no eleitorado do Norte da Ilha um Multihospital naquela região, mantendo a UPA atual. A sede especulada para os outros serviços é no Sapiens Park.


Foto: Momento em que Topázio Neto, ao lado de Daniel Freitas e em frente ao governador Jorginho Mello e da secretária estadual Carmen Zanotto, inauguram o MultiHospital de Carianos, no Sul da Ilha.
Crédito: Allan Carvalho, PMF.

COMPARTILHE
Facebook
Twitter
LinkedIn
Reddit

Anúncios e chamada para o mailing