logo-branco.png

15 de julho de 2024

Em SC, Bolsonaro mira eleições municipais: “Já sabemos o que é a esquerda e o que é a direita”

Roupas de banho e camisas da seleção brasileira disputaram espaço na areia da praia central de Balneário Camboriú, neste sábado, para ouvir o que tinha para dizer o ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) em ato político convocado por ele mesmo através das redes sociais na manhã do mesmo dia.

Marcado para as 17h, Bolsonaro subiu no palanque com pouco menos de 10 minutos de atraso – entoado por apoiadores que, momentos antes, acompanhavam os louvores das caixas de som e sinalizavam ao ex-presidente que gesticulava da janela do edifício.

O primeiro ato do ex-presidente com o microfone foi mandar sair do palco seguranças, organizadores e pré-candidatos – incluindo o filho Renan, que deve disputar uma cadeira na Câmara de Vereadores de Balneário Camboriú, e havia subido cerca de 30 segundos antes.

Só fica aqui em cima quem tem mandato – disse, ao lado do governador Jorginho Mello (PL), do prefeito Fabrício Oliveira (PL) e do deputado estadual Carlos Humberto (PL) e federal Daniel Freitas (PL).

Em seguida, deu a palavra ao “pupilo” Jorge Seif, que aproveitou para exaltar a base bolsonarista presente em Santa Catarina – e o próprio ex-presidente. No discurso, o senador não citou o processo de cassação por abuso de poder econômico nas eleições de 2022 movido pelo PSD e que deve ser pautado em breve pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

seif bolsonaro
Seif abraçado no palanque junto com Bolsonaro, Jorginho, Fabrício e Daniel Freitas. Foto: Bruno Gallas, upiara.net.

Santa Catarina é o Estado mais conservador da nossa república. Nós temos um líder que tem sofrido injustiças e perseguições. Mas ele é símbolo para nós de resistência e resiliência. Apesar de tudo que tem acontecido, não vamos desistir de nossa pátria amada, de Santa Catarina e da direita conservadora – afirmou o senador.

Após pausa para oração, foi a vez do prefeito de Balneário Camboriú, Fabrício Oliveira, se dirigir à plateia – aumentando o tom de aderência ao bolsonarismo.

 [Bolsonaro] despertou em todos nós o sentimento de patriotismo, de amor à nossa nação, pelas cores da nossa bandeira. Este lugar lindo, chamado Balneário Camboriú, que nunca foi governado pelo PT, está aqui para te receber. Estamos juntos para o que der e vier – completou Fabrício.

Em seguida – apresentado pelo próprio protagonista do evento, o governador Jorginho Mello sublinhou os antecessores – em tom veemente, com dedo em riste, trajando camiseta verde amarela com a frase “nosso sonho está mais vivo que nunca”.

Jorginho Bolsonaro
Jorginho discursa usando camiseta com rosto e frase de Bolsonaro. Fabrício e Carlos Humberto, de camiseta do Avaí e boné, observam. Foto: Bruno Gallas, upiara.net.

Se não fosse a democracia, não estaríamos aqui. Esse é o Estado com gente que trabalha. Eu tenho muito prazer de ser governador desse Estado e ser seu parceiro [de Bolsonaro]. O Brasil precisa do Bolsonaro. É nosso líder. O homem que fez com que o brasileiro despertasse o amor pela pátria. Por isso Santa Catarina é o Estado que vai bem, porque aqui a esquerda nunca governou – prossegue Jorginho.

Bolsonaro fala aos apoiadores

Por fim, foi a vez do ex-presidente disputar decibéis com o público que o assistia. Após saudar Santa Catarina, voltou a valorizar o próprio governo – além da biodiversidade e o agronegócio brasileiros.  

Se deixamos um legado, é a gente de bem ao meu lado ao longo de 4 anos. Aprendemos que um presidente não pode oprimir o próprio povo. Começamos a dar valor à nossa pátria. Temos a maior biodiversidade do mundo. O nosso agronegócio nos orgulha. Temos como seguir em frente – disse Bolsonaro na abertura do discurso.

Ainda, relembrou fatores que, segundo ele, brecaram as atuações e o progresso da própria gestão durante os 4 anos como chefe do Executivo nacional.

Frente à guerra, a covid, a todos os problemas, nós demos exemplo para o mundo. Vão sentir saudade da gente. Só demos certo porque meus ministros, como o Jorge Seif, fizeram sua parte. Estamos vivendo um ano eleitoral e nós já sabemos o que é esquerda e o que é direita – prosseguiu o ex-presidente.

Bolsonaro também valorizou as “sementes” deixadas pelo Brasil – governadores eleitos na onda do 22, fazendo menção direta à sucessão de Jorginho Mello ao governo de Carlos Moisés (Republicanos).

Em seguida, em relação aos presos pelo 8 de janeiro, afirmou que “as injustiças serão corrigidas” – sem mencionar o processo pelo qual é investigado a respeito dos eventos do mesmo dia. Em vez disso, citou a resolução do caso de Marielle Franco, ex-vereadora do Rio de Janeiro.

Fui acusado de ter executado uma vereadora do Rio de Janeiro. A verdade sempre aparece. Com ela, nós nos fortalecemos – continua.

Por fim, se virou ao edifício no qual estava a ex-primeira-dama, Michelle Bolsonaro (PL), para fechar o discurso.

Nós tivemos a melhor primeira-dama do Brasil. Uma mulher temente a Deus, que é um exemplo de como se comportar ao lado do presidente – finalizou, valorizando a atuação da esposa.

Mesmo citada, Michelle Bolsonaro não desceu ao ato na avenida Atlântica. Permaneceu no apartamento emprestado ao casal para o feriadão pelo empresário Eliseu Maggi Scheffer.


Foto – Bolsonaro discursou para militantes em Balneário Camboriú com o governador Jorginho Mello. Crédito das imagens: Bruno Gallas, upiara.net.

COMPARTILHE
Facebook
Twitter
LinkedIn
Reddit

Anúncios e chamada para o mailing