logo-branco.png

15 de julho de 2024

Gabrielzinho desafiou todos os limites e nunca se permitiu ser menor que seus sonhos

Após 21 dias internado na UTI, o vereador Gabriel Meurer, o Gabrielzinho, morreu nesta segunda-feira em Florianópolis. Relembre sua trajetória

Gabriel Meurer, o Gabrielzinho, levou ao pé da letra o belíssimo verso do poeta catarinense Lindolf Bell:

Menor do que o meu sonho eu não posso ser.

Gabrielzinho sonhou muito, sonhou alto. E realizou muito. Vereador em segundo mandato em Florianópolis, ele desafiou todos os limites que a vida impôs – até o último dia. Lutou pela vida durante 21 dias de internação após uma forte gripe que se tornou pneumonia. Contou com a torcida de uma cidade inteira que aprendeu a admirar sua capacidade de sonhar e de realizar.

O gigante, como chamavam amigos e eleitores, despontou como um pró-ativo diretor do Procon Municipal. O carisma e a facilidade na comunicação fizeram com que despontasse nas urnas. Em 2016, foi eleito vereador pela primeira vez, o sétimo mais votado, pelo PSB.

Nessa época do primeiro mandato tive a chance de viajar com ele para Lages, para uma palestra em um evento para pré-candidatos a vereador na cidade serrana. Ele era um exemplo para todos aqueles que buscavam o sonho de entrar na política. Alguns conseguiram, outros não. Todos ouviram com atenção o pequeno vereador de Florianópolis.

Naquela viagem, falamos de política e de sonhos. Gabrielzinho não queria ser mais um na política, queria ser gigante. Planejava o segundo mandato, a presidência da Câmara de Vereadores, vice-prefeito, deputado estadual.

O que estava em suas mãos, ele conquistou. No que dependeu da conjuntura política e de alianças, não teve tempo.

Foi o terceiro mais votado na reeleição como vereador em Florianópolis em 2020, pelo Podemos – resultado que estimulava seus sonhos de continuar crescendo na política catarinense. Articulou a presidência da Câmara, mas acabou preterido no grupo político que integrava.

Continuou lutado por seu espaço, pelo seu sonho.

A candidatura a deputado estadual foi atrapalhada pela lealdade ao projeto político. Aliado de Gean Loureiro (União Brasil) em Florianópolis, apoiou o ex-prefeito da disputa pelo governo estadual mesmo com o Podemos integrando a chapa do então governador Carlos Moisés (Republicanos) à reeleição.

Ambos ficaram pelo caminho, Gabrielzinho também.

Gabrielzinho era cotado para ser vice de Topázio

Ele continuou sonhando. A força do PL de Jair Bolsonaro em Santa Catarina impressionou toda a política catarinense e também o vereador de Florianópolis. Aproximou-se do governador Jorginho Mello (PL), migrou de partido.

Até ser internado, causando susto e comoção em Florianópolis, Gabrielzinho estava firme na disputa interna do PL para ser o pré-candidato a vice-prefeito na chapa liderada pelo prefeito Topázio Neto (PSD). Ele tinha o apoio dos vereadores da base governista, diversos partidos, que reconheciam a lealdade aos governos Gean e Topázio – mesmo nos momentos em que foi deixado de lado.

Gabrielzinho ganha o apoio de grupo de vereadores governistas para ser vice de Topázio.
Foto: Em maio, Gabrielzinho ganhou o apoio de grupo de vereadores governistas para ser vice de Topázio.
Crédito: Divulgação.

Gabrielzinho sonhou com essa vaga de vice-prefeito. Uma luta que acabou substituída pela luta pela própria vida.

A cidade acompanhou dia a dia as informações enviadas pela família. A comemoração em cada pequena vitória, a angústia das notícias ruins. Aqui no upiara.net decidimos não publicar nada sobre este momento e nem sobre a vaga de vice tão disputada.

Nesta segunda-feira, perdemos Gabrielzinho. Fica o legado de uma passagem breve, mas marcante, pela política de Florianópolis. Fica a lição de alguém que nunca se permitiu ser menor do que seus sonhos.

Aprendemos contigo, Gabriel. Nada foi em vão. Descansa em paz.


Foto: Gabrielzinho em frente à Câmara de Vereadores de Florianópolis.
Crédito: Divulgação.

COMPARTILHE
Facebook
Twitter
LinkedIn
Reddit

Anúncios e chamada para o mailing