logo-branco.png

15 de julho de 2024

Na Alesc, deputados exigem fiscalização em obras estratégicas e avanços na saúde

Plenário da Assembleia Legislativa, durante a sessão ordinária desta quinta-feira (20)

A Assembleia Legislativa de Santa Catarina (Alesc) viveu uma sessão ordinária marcada por debates acalorados sobre obras em rodovias, melhorias no setor de saúde e os desafios da era digital nesta quinta-feira. Os deputados não pouparam críticas e apresentaram propostas para impulsionar a infraestrutura e os serviços públicos do estado.

O deputado Soratto (PL) foi incisivo ao pedir a fiscalização da obra na rodovia que interliga Tubarão a Jaguaruna, no Sul de Santa Catarina. Ele questionou a qualidade dos materiais utilizados, como o guarda-corpo de uma ponte, que, segundo Soratto, foi reutilizado de outra construção, comprometendo a segurança da via.

É uma estrada muito importante não só para o turismo, mas também para o escoamento da produção do arroz e, infelizmente, a empresa está, em alguns trechos, deixando a desejar. Um deles é na construção de uma ponte em que utilizaram guarda-corpo usado de outra ponte, não conferindo segurança, não trazendo a garantia de uma obra nova – criticou Soratto.

Outro foco das discussões foi o andamento das obras de revitalização das rodovias SC-477 e SC-120, na região do Planalto Norte. O deputado Mauricio Eskudlark (PL) relatou seu encontro com a população local e destacou os progressos na recuperação dessas vias essenciais, que estavam intransitáveis há quase três décadas.

Após um abandono de quase 30 anos, o primeiro trecho dessa estrada já foi recuperado. O segundo trecho, uma empresa de Minas Gerais vai fazer a recuperação. Uma rodovia que estava intransitável e que agora já tem condições de transitar. Também estive na SC-477 e já tem 4,8 mil metros de pista de concreto – comemorou o deputado Mauricio Eskudlark.

No setor de saúde, os parlamentares Cleiton Fossá (MDB) e Rodrigo Preis (PT) trouxeram à tona as necessidades do Hospital Regional do Oeste (HRO) e a necessidade de descentralização de tratamentos, especialmente para pacientes com câncer.

Fossá destacou a importância do HRO para 1,3 milhões de habitantes de 130 municípios e alertou sobre os desafios que o hospital enfrenta, como falta de médicos e estrutura precária. Preis, por sua vez, pediu ao governo do Estado que leve os serviços de saúde mais próximos dos cidadãos, reduzindo o sofrimento de pacientes que precisam se deslocar longas distâncias para receber tratamento.

A inteligência artificial (IA) também foi tema de debate, com o deputado Mário Motta (PSD) alertando os jovens sobre a necessidade de ampliar seu vocabulário para interagir eficazmente com tecnologias de IA. Ele citou uma pesquisa que indica uma redução de 40% no vocabulário dos jovens em comparação com a geração dos anos 1950 e refletiu sobre as ideias do professor Eugênio Bucci, da USP, que redefiniu o conceito de “ignorância” para a era digital.

A sessão também foi marcada pela homenagem do deputado Rodrigo Minotto (PDT) aos 20 anos da morte do ex-governador gaúcho Leonel Brizola, destacando o legado político e social do líder.

Por fim, o deputado Rodrigo Preis se despediu do Parlamento Catarinense, após ocupar a vaga do deputado Padre Pedro Baldissera (PT). Preis agradeceu a oportunidade e destacou os nove projetos de lei que protocolou, baseados nas demandas coletadas durante suas visitas a 45 cidades do estado.

A sessão ordinária refletiu a diversidade de temas e preocupações dos deputados de Santa Catarina, com um claro apelo por melhorias na qualidade de vida dos cidadãos e na eficiência dos serviços públicos.

COMPARTILHE
Facebook
Twitter
LinkedIn
Reddit

Anúncios e chamada para o mailing