logo-branco.png

23 de maio de 2024

TCE-SC e MPSC vistoriam rachaduras em reservatório da Casan em São José

reservatório casan são josé

Os auditores fiscais de controle externo Paulo Vinicius Harada de Oliveira e Paula Antunes Dal Pont, do Tribunal de Contas de Santa Catarina (TCE-SC), acompanharam uma equipe da 7ª e da 29ª Promotoria de Justiça da Capital numa vistoria ao Reservatório Irineu Comelli, da Companhia Catarinense de Águas e Saneamento (Casan), em São José, na última semana. A obra foi construída pela mesma empresa do reservatório que se rompeu no bairro Monte Cristo em setembro de 2023 e apresenta fissuras em uma das estruturas. 

O relatório técnico dos engenheiros do TCE/SC subsidiará a atuação conjunta dos dois órgãos. A vistoria foi uma iniciativa dos Promotores de Justiça Rafael de Moraes Lima e Wilson Paulo Mendonça Neto, e decorre da força-tarefa criada em setembro de 2023 entre o TCE/SC e o Ministério Público de Santa Catarina (MPSC).

O reservatório abastece uma grande região, inclusive o Hospital Regional de São José, sendo imprescindível para a prestação de um serviço essencial à população – explicou Rafael Moraes Lima. 

Segundo Rafael, após o MPSC requisitar informações sobre supostas rachaduras no reservatório, a Casan confirmou uma fissura horizontal em junta de concretagem, que já havia sido identificada em inspeções anteriores. Também informou que um laudo pericial por uma empresa especializada estaria em fase final de contratação e que a conclusão dos trabalhos e a emissão do relatório poderiam levar até 90 dias.

Comunicou, ainda, que, por segurança, o nível do reservatório estaria sendo mantido abaixo da fissura. A Casan também afirmou que a contratação do conserto do problema estava em andamento, porém somente seria executado após a conclusão da perícia e a avaliação dos apontamentos.   

Manifestação da Casan

De acordo com os engenheiros da Casan, a terceira estrutura do reservatório Irineu Comelli, apesar das rachaduras visíveis, não apresenta qualquer risco de colapso ou rompimento. Também informaram que baixaram o nível de água para um ponto inferior ao da rachadura na junta de concretagem, permitindo a continuidade do uso com segurança estrutural.   

O Diretor de Operação e Expansão da Casan, Pedro Joel Horstmann, informou, ainda, que a empresa contratada entregará um laudo técnico sobre a estrutura em 60 dias. A estrutura tem capacidade de mil metros cúbicos, e a estrutura que apresenta falha (um tanque) está interligada às outras duas do reservatório.  


Reservatório da Casan em São José. Foto: Divulgação.

COMPARTILHE
Facebook
Twitter
LinkedIn
Reddit

Anúncios e chamada para o mailing