logo-branco.png

23 de maio de 2024

Tragédia no RS mobiliza o auxílio de municípios, estado e de deputados de SC

Tragédia no RS mobiliza o auxílio de municípios, estado e de deputados de SC

Parlamentares de diversos partidos destacaram o auxílio de municípios, de deputados e do estado catarinense às vítimas das enchentes no Rio Grande do Sul na sessão de terça-feira da Assembleia Legislativa.

Bombinhas, através da iniciativa do prefeito Paulinho, optou pela cooperação, além de ajuda com alimentação, também com máquinas, equipamentos, servidores experientes em gestão de crise, tudo com autorização da Câmara de Vereadores para adotar a cidade gaúcha de Eldorado do Sul – disse Paulinha (Podemos), que acompanhou os voluntários de Bombinhas em ação no referido município gaúcho.

A deputada sugeriu organizar a rede de auxílio sob a tutela das defesas civis dos municípios atingidos e pediu aos doadores que façam contato com quem vai receber as doações para o apoio chegar rápido e ser efetivo. Paulinha ainda instigou os colegas a rediscutir o papel do estado e repensar as políticas de mitigação de desastres para além das ideologias e da polarização.

Sérgio Guimarães (União) também foi ao Rio Grande do Sul com equipe do gabinete da Alesc para resgatar pessoas, animais e entregar pessoalmente às pessoas atingidas as doações recolhidas em Palhoça e municípios vizinhos.

Estou com o coração doendo por tudo o que vi no estado gaúcho, fiquei lá durante cinco dias e a minha equipe por quase dez, ficamos ajudando, entrando na água, resgatando pessoas, animais, trabalhando nos abrigos – relatou, lamentando a expressão de dor vista nos desalojados.

Guimarães agradeceu o apoio do deputado Nilso Berlanda (PL), proprietário das Lojas Berlanda, que forneceu colchões e travesseiros a preço de custo para serem doados na grande Porto Alegre. Também agradeceu o apoio do governo do Estado, que enviou ao estado vizinho duas aeronaves, bombeiros, policiais e agentes da Defesa Civil, bem como as centenas de voluntários que já estão ajudando e aqueles que para lá ainda se dirigem.

Lunelli (MDB) noticiou o envio ao Rio Grande do Sul de um helicóptero para entregar medicamentos e de duas carretas carregadas com doações. O deputado fez um apelo ao governo federal para minimizar a burocracia envolvida na ajuda aos municípios e lamentou os prejuízos do setor privado, com 91% das empresas gaúchas atingidas.

Investir em prevenção e respeitar o meio ambiente é fundamental – disse.

Napoleão Bernardes (PSD), Calos Humberto (PL), André de Oliveira (Novo), Emerson Stein (MDB) e Padre Pedro Baldissera (PT) acompanharam os colegas e destacaram as ações dos catarinenses em apoio aos gaúchos.

No Brasil e no mundo todos nós vivenciamos essa dor e somos solidários à causa, o que demonstra a face mais bonita do povo brasileiro, a simpatia e a solidariedade – avaliou Napoleão.

Já somos acostumados com este tipo de catástrofe, o Rio Grande do Sul não tem isso de forma corriqueira, mas já sofreu muito com as intempéries – prosseguiu Carlos Humberto, que defendeu o plano de prevenção contra de cheias do governo catarinense, estimado em R$ 5 bi.

Um plano para mitigação dos danos causados pelas chuvas, com grandes barragens, micro barragens, alargamento de leitos de rios, desassoreamentos, é um conjunto de ações que representam um montante de R$ 5 bi para serem implementadas na sua plenitude – completou o líder do governo.

Carlos Humberto criticou o pacto federativo e garantiu que dos R$ 419 bi enviados por Santa Catarina para Brasília, somente 15% retornou ao estado.

A união draga dos estados do Sul as suas capacidades de investimentos, contribuímos muito, mas recebemos pouco em troca – disse o parlamentar, não levando em consideração no cálculo do retorno dos impostos aos estados o montante pago pela União em dívidas, assim como os juros relativos.

“Realmente Santa Catarina deu um show de solidariedade”, apoiou André, que agradeceu o esforço do grupo Asas Solidárias, da Igreja Casa do Oleiro e das igrejas católicas no recolhimento e envio de doações ao Rio Grande do Sul.

As inundações que castigam o Rio Grande do Sul há mais de duas semanas já causaram a morte de 142 pessoas e entraram para a triste lista de enchentes e deslizamentos com mais mortes do país. Nenhuma enchente chegou a este montante, o tamanho da destruição material e da vida surpreende a cada momento – avaliou Padre Pedro (PT).

O deputado destacou a ação do governo federal, que enviou cerca de 20 mil homens para atuarem no Rio Grande do Sul.

O presidente Lula mobilizou ministros, recursos e um esforço de união nacional, liderando os demais poderes da República para juntos salvarem vidas e reconstruírem o estado gaúcho, na maior operação humanitária da história do Brasil – discursou Padre Pedro, que condenou a exploração política da tragédia por meio de Fake News.

Foto: Rodolfo Espíndola, Agência AL

COMPARTILHE
Facebook
Twitter
LinkedIn
Reddit

Anúncios e chamada para o mailing