logo-branco.png

15 de julho de 2024

Ana Paula Lima: “Temos que dar celeridade às obras que estão paradas em Santa Catarina”

Os cargos federais no Estado devem começar a ganhar definição com o retorno do presidente Lula (PT) ao Brasil. É o que disse a deputada federal e vice-líder do governo na Câmara dos Deputados Ana Paula Lima (PT) durante entrevista no quadro Plenário, da rádio Som Maior, nesta sexta-feira. Segundo a deputada, a prioridade será acelerar as obras inacabadas pela gestão anterior, assim como outras – principalmente em rodovias federais, paralisadas por falta de recursos.

– Creio que após a viagem do presidente Lula, que está nos Estados Unidos, a prioridade será a nomeação dos cargos nos Estados para dar celeridade a todas essas obras que estão paradas que estão paradas em Santa Catarina. Nesta semana recebi inúmeras visitas de prefeitos de Santa Catarina preocupados com a situação pois nos últimos anos ficaram sem receber nenhuma ação do governo federal. As obras que começaram, ficaram paradas.

Ela cita uma reunião junto ao ministro dos Transportes Renan Filho (MDB) em que fora assegurado o repasse de recursos para a retomada das obras da BR-470, assim como a inauguração de trechos das BRs 163, 153 e 280. Ana Lima cita os atos golpistas de 8 de janeiro como motivo do atraso das nomeações, uma vez que passam pela tutela do governo federal. Sobretudo, junto ao ministério das Relações Institucionais.

– Fizemos uma comissão para debater os temas, mas não há nenhum nome listado para ocupar esses cargos. Isso passará pelo crivo do governo federal, pelo ministro das relações institucionais, mas ainda não há um nome que possamos dizer que assumirá nos próximos dias. Há um bom debate, estamos conversamos bastante, e assumirão as pessoas mais preparadas para ocupar esses cargos, pois temos que atender nosso povo e dar celeridade às obras.

Apesar do entrave institucional causado pelos golpistas, a vice-líder do governo defende punição aos responsáveis não apenas pelo ato em si, mas pelos financiadores que o tornaram possível.

– O que não podemos é anistiar as pessoas que estiveram lá quebrando o patrimônio público nem aqueles que financiaram esses atos terroristas. Se fizermos isso, logo vão entrar na nossa casa e quebrar tudo e não serão punidos por isso. Respeito os direitos humanos, mas precisamos punir aqueles que cometeram esses atos.

Ela esteve também reunida com a nova coordenadora do Fórum Parlamentar Catarinense, a deputada federal Carol de Toni (PL) e assegurou que, para que as demandas estaduais sejam atendidas, haverá trabalho conjunto e entendimento entre as partes, apesar de opostas.

– A política se faz com conversa, não agredindo. A deputada realmente me pediu ajuda e não negarei ajuda. A população catarinense não pode sofrer por nós não convergirmos aos mesmos ideias. Temos a responsabilidade de trazer ao nosso Estado aquilo que há de melhor.

COMPARTILHE
Facebook
Twitter
LinkedIn
Reddit

Anúncios e chamada para o mailing