logo-branco.png

14 de abril de 2024

Cansada de anúncios, comunidade cobra retomada de obras na SC-281

sc-281

Drama antigo do interior da Grande Florianópolis, as obras de asfaltamento da SC-281 continuam brecadas – para insatisfação dos que circulam diariamente no trecho que liga São Pedro de Alcântara a Angelina. Além dela, a SC-108, importante rota de escoamento agrícola na região, também não vê sinais de asfalto.

Segundo moradores, em notas conjuntas, a obra estaria sendo utilizada como palanque eleitoral – antes por Carlos Moisés (Republicanos) e agora, sob bandeira do Estrada Boa, por Jorginho Mello (PL).

Exemplo disso seria o baixo maquinário e número efetivo de funcionários responsáveis pelo asfaltamento do trecho de 25km – distribuídos em poucos dias de trabalho ao longo da semana.

Vimos, eu e outras pessoas, máquinas estacionadas e ligadas trabalhando intensamente em frente à sede da Sul Catarinense. E quem estava lá fazendo vídeos publicitários? O secretário de Infraestrutura Jerry Comper. Ao fundo, máquinas trabalhado a todo vapor. Ficamos felizes e esperançosos, mas durou pouco. Poucos minutos depois tudo parou e o vídeo encerrou – diz uma moradora que, segundo ela, há 11 anos ouve promessas de asfalto na região.
Moradores reclamam das condições precárias da pista. Vídeo: Reprodução.

Por meio de assessoria de imprensa, a secretaria de Infraestrutura afirma que as máquinas estão trabalhando dentro do projeto de implantação asfáltica de 29 quilômetros. A pasta “entende que o ritmo dos trabalhos precisa ganhar mais velocidade” e para tanto a empresa responsável pela obra teria sido notificada.

O contrato prevê R$ 130 milhões em investimentos apenas na SC-281.

SC-281
Imagens cedidas pela secretaria mostram caminhão e máquina trabalhando. Foto: Divulgação.

Obras na SC-281 e 108

A modernização do trajeto é prometida há pelo menos 40 anos, segundo moradores. Foi anunciada, no entanto, no governo de Carlos Moisés (Republicanos) – com licitação vencida pela empresa Sul Catarinense.

Prosseguindo de maneira vagarosa, a obra parou de vez pouco antes da transferência do governo para Jorginho Mello, já após as eleições de 2022. Segundo o governo, por falta de licenciamentos ambientais.

À época, secretaria de Estado da Infraestrutura afirmou que os trechos da 281 já licenciados pelo Instituto do Meio Ambiente (IMA) são de curta extensão, o que comprometeria as atividades da empreiteira contratada para executar os trabalhos.

Em maio do ano passado, as prefeituras de ambos os municípios se uniram para protestar o “abandono” do governo estadual. Em outubro, o governador Jorginho Mello, ao lado do secretário da Infraestrutura, Jerry Comper (MDB), anunciaram a retomada dos trabalhos na região – na mesma igreja que, anos antes, Moisés anunciou a obra pela primeira vez.

COMPARTILHE
Facebook
Twitter
LinkedIn
Reddit

Anúncios e chamada para o mailing