logo-branco.png

15 de abril de 2024

Em campanha para continuar à frente do DNIT-SC, Alysson Andrade promete mais verbas para BR-470

Passados quatro meses da posse de Lula (PT) para seu terceiro mandato na presidência vai se consolidando o nome que deve comandar uma das áreas que mais afastou Santa Catarina e o petismo. À frente do DNIT-SC desde a metade do ano passado, ainda na gestão Jair Bolsonaro (PL), o engenheiro Alysson Rodrigo de Andrade vai conquistando apoio para continuar à frente do cargo após o insucesso nas tentativas do PT e do MDB catarinenses em emplacar correligionários para o posto.

A favor de Andrade, a constatação de que vem exercendo um bom trabalho desde que assumiu o DNIT-SC. Ele substituiu Ronaldo Carioni, criticado publicamente pelo ex-ministro de Infraestrutura, Marcelo Sampaio, por falta de eficiência. Sob o comando do atual superintendente, as máquinas foram para a pista e avançaram as obras na BR-470 e BR-280, além da recuperação de encostas na BR-282. Enquanto os petistas tentavam trazer de volta João José do Santos, que comandou o órgão por 10 anos nos mandatos de Lula e Dilma Rousseef (PT), os emedebistas se esforçavam para convencer o ex-deputado federal Mauro Mariani (MDB) a voltar para o jogo e o governador Jorginho Mello (PL) armava para emplacar, via senadora Ivete da Silveira (MDB), a volta de Carioni para o cargo, Alysson Andrade ia conquistando apoios importantes ao manter as máquinas na pista.

Conquistou, por exemplo, entidades empresariais, que fizeram chegar a Brasília a informação que defendiam a manutenção do atual superintendente. Sem a opção Mariani, o MDB passou a olhar com outros olhos para Andrade. O superintendente vai fazendo sua parte. Esta semana, estreitou laços na Assembleia Legislativa. Na terça-feira, durante o lançamento da frente parlamentar proposta pelo deputado estadual Maurício Peixer (PL) para acompanhar as obras de duplicação da BR-280 para, ao lado do deputado federal Carlos Chiodini (MDB), anunciar que o orçamento da obra este ano passará de R$ 50 milhões para R$ 200 milhões. É uma expectativa de avanço mais célere da obra nos três lotes.

Nesta quarta-feira, Andrade estava presente em outro lançamento de frentes parlamentares – a de acompanhamento das obras de BR-470 e de mobilidade e infraestrutura, ambas propostas pelo deputado estadual Oscar Gutz (PL). Mais uma vez, o chefe do DNIT-SC prometeu mais orçamento. Segundo ele, estão previstos na Lei Orçamentária Anual (LOA) deste ano cerca de R$ 530 milhões em recursos que serão destinados para a BR -470. Garantiu, ainda, que os lotes 1, orçado em R$ 69,8 milhões, e o 2, orçado em R$ 53 milhões, entre Navegantes e Gaspar, devem ser finalizados até o final deste ano.

– É fundamental essa mobilização da sociedade catarinense, liderada pelo parlamento, e que deve contar com o apoio e o engajamento da bancada federal catarinense em Brasília – avaliou.

A tendência hoje é de que Alysson Andrade permaneça no posto. O desafio é manter as máquinas na pista. Santa Catarina sabe – e aprendeu da pior forma possível – que é a capacidade de execução das obras e de manter as máquinas na pista que garante a conclusão das obras prometidas, mais do que promessas orçamentárias. Por enquanto, Andrade tem passado nos testes.


Sobre a foto em destaque:

Alysson Andrade no lançamento da frente parlamentar de acompanhamento das obras da BR-470 na Alesc. Foto: Bruno Collaço, Agência AL.

COMPARTILHE
Facebook
Twitter
LinkedIn
Reddit

Anúncios e chamada para o mailing