logo-branco.png

19 de abril de 2024

Topázio resiste a ultimato de Gean por nomeação de Cíntia Loureiro e Constâncio Maciel

No final de março do ano passado, Gean Loureiro (União Brasil) renunciou à prefeitura de Florianópolis para encarar o sonho de ser governador do Estado. Deixou o cargo com o então vice, Topázio Neto (Psd), escolhido a dedo para representar um empresário bem sucedido na chapa e também um homem alinhado a seu projeto para 2022. O ano virou, Gean ficou em quarto lugar na disputa pelo governo e Topázio tenta mostrar que é o prefeito de fato em meio a dezenas de colaboradores herdados do antecessor.

É nesse contexto que a relação de Gean Loureiro e Topázio Neto vive um momento de impasse. O ex-prefeito quer bancar a nomeação da mulher, Cíntia Loureiro, para a Secretaria de Obras, e o retorno de Constâncio Maciel (União Brasil) para a Secretaria da Fazenda. Constâncio deixou a pasta para concorrer a deputado estadual, uma aposta de que o grupo de Gean teria garantido um gabinete na Assembleia Legislativa caso a candidatura ao governo não fosse bem sucedida. No entanto, Constâncio ficou apenas com a segunda suplência do União Brasil.

Os sinais de desconforto entre ambos são cada vez mais evidentes. Dias atrás, Gean postou em seu Instagram uma frase pretensamente aleatória: “Não prometa quando você não pode cumprir, não prometa quando você não vai cumprir e, por fim, nunca faça promessas se no final de tudo não pretende cumprir essa promessa”. Nesta terça-feira, o recado aleatório veio de Cíntia Loureiro. Em sua postagem, ela traz a citação “O casal é conhecido no divórcio, os irmãos na herança, os filhos na velhice e os amigos nas dificuldades” e acrescentou: “o gestor, quando lhe dão poder”.

As notas cifradas indicam algo que parece claro nos bastidores: há um ultimato de Gean sobre a nomeação de Cíntia e Constâncio. Topázio resiste. A avaliação é de que a imagem pública passaria a ser a de um prefeito tutelado, com poucos poderes práticos – um rei Charles manezinho. Não era esse o acordo quando ele assumiu a vaga de vice na chapa de Gean sabendo de antemão da renúncia.

Ao mesmo tempo, Topázio aprofundou a relação com o deputado estadual Júlio Garcia (Psd) e ensaia aproximação com o governador Jorginho Mello (Partido Liberal), que não tem candidato natural à prefeitura de Florianópolis em 2024. A sucessão municipal é um jogo ainda embrionário. Topázio será candidato, não se sabe ainda com qual grupo. Gean, eleito e reeleito em 2016 e 2020, não pode concorrer uma terceira vez consecutiva. Cíntia também seria abarcada pela restrição, como mulher do prefeito reeleito.

É possível que nos próximos dias os recados de Gean e Cíntia ganhem o nome, o rosto e o endereço do antigo aliado fiel. Resta saber quem terá mais a perder com o divórcio político – afinal, não são poucos os indicados do ex-prefeito que continuam nomeados na prefeitura.


Sobre a foto em destaque:

Gean Loureiro e Topázio Neto no dia da renúncia de um e posse do outro. Foto: Divulgação.

 

COMPARTILHE
Facebook
Twitter
LinkedIn
Reddit

Anúncios e chamada para o mailing