logo-branco.png

15 de julho de 2024

Uma saúde mais humanizada. Por Adeliana Dal Pont

Prefeito de Criciúma, Clésio Salvaro (PSD) levou o pré-candidato a prefeito Vaguinho (PSD) para encontro com Jair Bolsonaro (PL)

Adeliana Dal Pont escreve artigo sobre a importância de que o atendimento em saúde pública seja feito de forma humanizada e aponta que isso demanda investimento nos profissionais e nas estruturas da rede básica.

As unidades básicas são a porta de entrada para os serviços de saúde. E para se garantir esse acesso, os municípios precisam investir em estrutura física, em pessoal, em insumos e equipamentos. Mas somente isso não basta. Para se ter uma saúde de excelência é preciso investir também em humanização e em gestão.

Quando um cidadão procura uma Unidade Básica de Saúde (UBS), em geral, ele está doente e fragilizado. Muitas vezes pode ser uma pessoa resistente a procurar atendimento médico ou que se encontra em um estado muito confuso e debilitado. Por isso, é fundamental que ele seja bem atendido e se sinta respeitado.

Ter uma saúde pública humanizada significa deixar para trás um atendimento automático, para adotar uma abordagem que valorize a pessoa, de forma acolhedora, paciente e resolutiva. Isso passa também pelo usuário encontrar um local confortável para esperar e que receba informações e orientações corretas.

Uma saúde humanizada melhora a qualidade dos serviços e impacta nos resultados, aumentando a adesão e melhorando o tratamento. A escuta ativa do paciente pode ajudar a aumentar a eficiência dos procedimentos, permitindo que resultados melhores sejam alcançados com poucos recursos.

O atendimento mais humanizado facilita a criação de pontes e torna o paciente mais aberto a ouvir e seguir as recomendações dos profissionais de saúde. Assim, é possível obter taxas maiores de sucesso na prevenção de doenças. Sendo assim, serviços de saúde humanizados colaboram para uma melhor qualidade de vida para servidores, pacientes e também para os familiares.

Um dos fatores que dificulta a implementação de um atendimento humanizado é ter equipes sobrecarregadas nas UBSs. Neste sentido é preciso investir em pessoal e na valorização desses profissionais. Somado a isso, uma gestão qualificada é imprescindível para capacitar e motivar suas equipes a buscar um atendimento verdadeiramente humano.

Oferecer treinamento é importante para trabalhar conceitos como relações interpessoais e comunicação para que os profissionais possam lidar com a rotina intensa dos serviços de saúde de modo mais tranquilo. Evidentemente esta não é uma realidade que se pode mudar de um dia para o outro. Trata-se de um processo de longo prazo, que precisa ter continuidade e manutenção dos investimentos.


Adeliana Dal Pont (PL) é ex-prefeita de São José e pré-candidata ao mesmo cargo em 2024.

COMPARTILHE
Facebook
Twitter
LinkedIn
Reddit

Anúncios e chamada para o mailing