logo-branco.png

23 de maio de 2024

Gean diz que chance de sair do União Brasil “é zero” e que apoiará reeleição de Topázio Neto

O ex-prefeito florianopolitano Gean Loureiro saiu nitidamente empolgado da reunião realizada pelo União Brasil em Blumenau na noite de segunda-feira. O encontro que reuniu mais de 200 colegas de partido serviu para definir o deputado estadual Marcos da Rosa como presidente municipal do partido e apresentar 25 pré-candidaturas a vereador, além de engajar partidários de cidades da região.

Quarto colocado na disputa pelo governo do Estado em 2022, Gean foca agora na construção que lhe faltou naquela disputa: uma base capilarizada pelas diversas regiões de Santa Catarina. Uma para a qual necessita, primeiramente expor unidade partidária e a convicção de que permanecerá à frente do partido que presidente no Estado desde a fusão entre o seu Democratas e o PSL, em 2021. Este ano, a executiva estadual do partido foi extinta pelo comando nacional, o que acendeu os rumores que o deputado federal Fábio Schiochet poderia ser guindado ao comando. Gean nega.

– Está tudo certo, eu falei com o Luciano Bivar (deputado federal e presidente nacional do União Brasil). Em diversos Estados a executiva não foi renovada, estão esperando resolver uma encrenca no Rio de Janeiro e em Rondônia. Mas vai continuar a mesma executiva. A hipótese de sair do União Brasil é zero – disse Gean Loureiro, em telefonema na noite de segunda-feira.

Evento do União Brasil em Blumenau na noite de segunda-feira reuniu cerca de 200 pessoas. Foto: Divulgação.

O ex-prefeito garante que a a relação com Fábio Schiochet vive o melhor momento, o que seria comprovado pela participação dele em eventos como o de Blumenau.

– Agora eu estou conhecendo a turma do PSL e o Fábio está conhecendo a turma do Democratas – brinca Gean, em referência à fusão realizada pouco antes do período eleitoral.

Para o partido, as metas são ousadas. O partido conta com cerca de 100 comissões provisórias nos municípios catarinenses e a meta é chegar a 200. A ideia, segundo Gean, é ter entre 50 e 60 candidatos a prefeito e eleger metade deles. Um desempenho que superaria a soma das conquistas de PSL (13 eleitos) e Democratas (oito eleitos) em 2020. A meta é focar cidades médias. Nas grandes, a ideia é compor.

Uma das dessas composições seria em Florianópolis, onde Gean garante que o União estará no palanque pela reeleição do prefeito Topázio Neto (PSD), eleito vice em sua chapa em 2020 e herdeiro do comando da Capital com a renúncia do titular para concorrer a governador.

– Topázio surfa sozinho. Tem uma boa comunicação, que é importante porque ele está se tornando uma pessoa conhecida no processo e hoje consegue crescer o grau de conhecimento. Se avançar nas obras e mantiver o padrão que a gente deixou é favorito.

A ideia é que o União indique o vice de Topázio Neto – Ed Pereira, ex-vereador e secretário de Turismo, Cultura e Esporte, é o primeiro da fila no partido. Mas Gean não rejeita a hipótese de que a vaga seja cedida ao PL do governador Jorginho Mello ou ao Progressistas do senador Esperidião Amin. É uma questão de construção, diz.

– Eu não vou fazer rejeição a ninguém em uma construção politica de vitória. Quem decide é o Topazio. Quando eu era o candidato, eu decidi – diz Gean.


Sobre a foto em destaque:

Com o deputado estadual Napoleão Bernardes (PSD), que visitou o evento do União Brasil em Blumenau, posam para a foto com Gean Loureiro os deputados estaduais Marcos da Rosa e Sérgio Guimarães e o deputado federal Fábio Schiochet. Foto: Divulgação.

COMPARTILHE
Facebook
Twitter
LinkedIn
Reddit

Anúncios e chamada para o mailing