logo-branco.png

15 de abril de 2024

“Não tenho dúvidas que tem mão de alguém”, diz Cardozo sobre ressurgimento de denúncias

Após voltarem à tona as investigações envolvendo o novo secretário de Estado de Administração Prisional Jeferson Cardozo (Partido Liberal), o ex-vereador de Jaraguá do Sul prestou esclarecimentos durante o quadro Plenário, da Rádio Som Maior. Segundo ele, forças externas estariam alimentando tais denúncias para desgastar a imagem do governo recém empossado.

– Ontem eu fiz uma reunião com todos os gestores e estavam com uma visão desse grupo que pertencia à gestão anterior que compõe um quadro de 20% de toda a categoria. Estavam muito receosos em acabarmos incendiando, fazendo mudanças que não fossem pontuais, mas diferentes daquilo que a categoria precisava – disse.

Cardozo deu, no entanto, panos quentes à situação, citando reunião ocorrida durante a manhã de segunda-feira entre a gestão que entra e a que sai. Segundo ele, “mudanças são normais numa democracia” e, por agora, o grupo antes pertencente à gestão anterior está alinhado ao trabalho a ser feito.

– Essas coisas que estão acontecendo, não tenho dúvidas que tem mão de alguém. Quem sabe dos nossos colegas que estavam, mas agora conseguiram compreender a nossa gestão e por certo teremos um sistema bastante unido, forte e consolidado em Santa Catarina.

Nos últimos cinco anos, a secretaria de Administração Prisional esteve nas mãos de Leandro Lima (Republicanos) que, antes, na comissão de Justiça e Cidadania, era adjunto de Ada de Luca (Mdb) durante o governo de Raimundo Colombo (Psd).

– É normal, em uma transição, que existam dissabores. Isso é muito comum em todas as gestões. Um pouco de tristeza, pois estão deixando o cargo, pois o governo perdeu as eleições…, mas as mudanças são fundamentais numa democracia. E ontem conseguimos mostrar e tranquilizar isso para aqueles que estavam na gestão anterior.

Ainda segundo o secretário, o ruído não atrapalhará “de forma alguma” sua indicação ao cargo.

– A nossa associação da polícia penal, nosso sindicato já emitiu uma nota pública emitindo o governador pela escolha. Isso me deixa muito honrado. Já conversei com o governador sobre essa situação. Mostrei todas as provas e nosso governador confia muito em nosso caráter e nossa idoneidade.

Na denúncia caracterizada como prevaricação, o secretário está absolvido. Segue, no entanto, a denúncia do Mp-SC sobre cobrança indevida nas autoescolas. Cardozo mostra confiança na absolvição, dizendo ser apenas cotista da empresa, participando de somente 1% da sociedade.

– Após falecimento do meu irmão, em 2015, meu pai botou 1% da empresa no meu nome. Mas eu já era policial penal, era apenas cotista. Em 2018 aconteceu esse episódio da autoescola e fui chamado como testemunha para prestar esclarecimento. Posteriormente colocaram o ex-examinador preso no meu ambiente de trabalho. Até então, eu havia sido chamado apenas como testemunha, até que em fevereiro fui surpreendido por uma ligação do meu advogado dizendo que eu era réu.

Veja a entrevista completa:

COMPARTILHE
Facebook
Twitter
LinkedIn
Reddit

Anúncios e chamada para o mailing