logo-branco.png

19 de abril de 2024

José Fritsch assume coordenadoria-geral do Desenvolvimento Agrário de Santa Catarina

O ex-ministro da Pesca José Fritsch (PT) foi nomeado, nesta quinta-feira, para exercer o cargo de coordenador-geral do Desenvolvimento Agrário de Santa Catarina. A função era uma das lacunas em meio às indicações do governo Lula (PT) aos cargos federais no Estado. Fritsch afirma que a prioridade da gestão será “colocar a agricultura familiar como um grande celeiro para produção de produtos orgânicos” a serem consumidos no mercado interno.

O ex-prefeito de Chapecó afirma que o desafio será produzir alimentos que venham na perspectiva do consumo interno, abastecido por cooperativas e produtores menores, diminuindo ou eliminando o uso de agrotóxicos. Isso não significa um choque contra o agronegócio, ao que classifica como “essencial” para as exportações e o mercado estrangeiro. Para Fritsch, uma das maneiras para isso seria investir em bioinsumos.

– A partir da próxima semana tenho agenda de visitas pois há demandas das entidades, e isso passa pelo Programa de Aquisição de Alimentos e por uma visão que Lula bota de produzir alimentos saudáveis sem contrapor com o agronegócio. Vamos construir dentro do Ministério uma estratégia de fazer produção com menos carga de veneno.

Fritsch salienta que todo o mercado de grãos e carnes, movido pelo “grande corporativismo” está voltado ao mercado internacional; o que tem importância para a economia estadual. Como alternativa, as cooperativas e a agricultura familiar seria o escopo para produção de alimentos orgânicos que abasteceriam o mercado interno.

– Ambas produções são importantes pois gera emprego nas cidades. Um desafio novo essa ótica de desenvolvimento de produção de alimentos verdes, tem um mercado que precisa ser organizado. Vão ser duas mãos que vão trabalhar para o mesmo destino: o desenvolvimento de Santa Catarina.

A fala harmoniosa reflete na relação que Fritsch planeja manter junto ao governo do Estado para que as articulações do governo Federal sejam salutares em Santa Catarina. Terá que trabalhar junto ao governador Jorginho Mello (PL) e o secretário de Estado da Agricultura Valdir Colatto, também do PL, a quem o ex-ministro conhece “há muito tempo”, e que, em razão dos objetivos de desenvolvimento de políticas públicas, devem deixar as diferenças partidárias de lado.

– Não teremos conflitos. Já conversei com o presidente da Comissão de Agricultura Altair Silva (PP) e tive uma rápida conversa com o secretário de Agricultura, que também é do agronegócio e conheço há muitos anos. Quem assume funções não pode fazer política partidária. Isso fica com os partidos. A relação da política de desenvolvimento vai ter que ser de cooperação entre as forças que existem. Na execução da política pública, o atrito fica em segundo plano. O importante é desenvolver a Agricultura de Santa Catarina.

Fritsch disputou as eleições de 2022 como primeiro suplente de Dário Berger (PSB) ao Senado, candidatura que ficou em terceiro lugar na corrida vencida por Jorge Seif (PL). Além de prefeito de Chapecó e ministro da Pesca, foi deputado federal entre 1994 e 1997 e concorreu duas vezes ao governo do Estado pelo PT, em 2002 e 2006, ambas as vezes ficando em terceiro lugar.

COMPARTILHE
Facebook
Twitter
LinkedIn
Reddit

Anúncios e chamada para o mailing